sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Chanuka Sameach


Destaque ADEMI 2009

O setor imobiliário do Rio de Janeiro reuniu-se no Hotel Intercontinental para a cerimônia de entrega do Destaque ADEMI – Prêmio Master Imobiliário 2008. O presidente da ADEMI, Rogério Chor, abriu o evento comentando a garra das empresas do mercado de construção civil neste ano e levantou a discussão sobre o impacto da burocracia no setor, devido às inúmeras certidões necessárias para construir e comprar imóveis. "Neste salão, há pessoas que sempre fizeram o impossível", comentou.

O governador Sergio Cabral, por sua vez, elogiou a parceria entre o mercado financeiro e as construtoras, ressaltando que estas são "vitais para o país". Já o prefeito Eduardo Paes, enalteceu a importância do setor para o Rio de Janeiro. "As riquezas da cidade se multiplicam em função do setor. Cabe ao Poder Público permitir que produzam bastante", disse. Os dirigentes assumiram o compromisso de, em um ano, apresentarem diversas melhorias para a cidade. Foram 21 os premiados.

Entre os premiados, RJZ Cyrela, CHL, Engeziler, Mozak, Niskier Engenharia.

A CHL Desenvolvimento Imobiliário recebeu o título de Empresa do Ano do setor.

Renomado Educador Aaron Kunik, será o novo Diretor Geral do Colégio TTH BAR-ILAN em 2009

O novo Diretor Geral do Colégio TTH BAR-ILAN é o renomado educador Dr. Aaron Kunik. Com larga experiência e atuação na área educacional em Israel e na América Latina, Aaron Kunik irá implantar o novo projeto pedagógico, priorizando sempre a excelência acadêmica, e atuará também, na permanente capacitação dos profissionais de educação. Exercerá a Direção junto com a diretora Tania Fuks. Atualmente vem exercendo o cargo de representante de Israel no Departamento de Educação da Agência Judaica para a América Latina.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

MENSAGEM DO NOVO EMBAIXADOR DE ISRAEL NO BRASIL

Tendo chegado esta semana a Brasília, é para mim motivo de grande alegria poder dirigir-me, pela primeira vez, à grande comunidade judaica do Brasil, com a qual pretendo manter uma estreita ligação.

Durante toda minha carreira diplomática tenho dado grande importância ao trabalho com as comunidades judaicas, como na Argentina, Índia e Estados Unidos. Agora, é para mim uma honra poder cooperar com a importante comunidade judaica brasileira, sendo uma de minhas principais metas como Embaixador do Estado de Israel, aprofundar os laços de cooperação e amizade já existentes. Sou sabedor do dinamismo dessa comunidade e do elo forte que a une a Israel.

Espero muito em breve dar início às minhas visitas e conhecer todos pessoalmente.

Com o meu cordial Shalom !

Giora Becher
Embaixador de Israel

Anti-semitismo no provedor Terra

Por favor parem de repassar o email com este título! Continuamos recebendo denúncias quase diárias com o email que circulou nos primeiros dias de novembro. As pessoas não estão sequer se dando ao trabalho de clicar nos links que vêm no corpo do email e ir ver as letras das músicas nazistas. Se o tivessem feito verificariam que não estão mais lá e que o caso foi encerrado de forma correta pelo Terra em 4 de novembro, como anúnciamos há 3 semanas atrás. Não reclamem com o Terra por algo que não está mais no ar. Se quiserem elogiem o Terra por ter tomado atitudes imediatamente após a denúncia do De Olho na Mídia. Não dêem credibilidade a emails sem dados consistentes ou que venham de fontes não identificadas, muito menos quando se tratar de assuntos polêmicos.

JACS-Brasil Participa e Co-Patrocina Fórum Nacional sobre Drogas em MG

Entidades científicas junto a ONGs de todo Brasil debateram sobre drogas e ofeceram caminhos a instituições que lidam com assunto no país

Entre 4 e 7 de dezembro, Minas Gerais foi séde do 1º Fórum Brasileiro do Terceiro Setor sobre Drogas, na cidade de Caeté. Este evento foi uma grande oportunidade para que entidades científicas e organizações de todo o espectro da sociedade debatessem e apresentassem caminhos para uma eficiente política de prevenção e para a discussão de métodos de tratamento.
A organização do evento contou com o inestimável apoio da Secretaria de Políticas Antidrogas de Minas Gerais e foram oito grandes instituições que definiram a programação e os temas em pauta, a saber:

* ABEAD - Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas
* CRUZ AZUL no Brasil
* FEBRACT - Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas
* FEBRAE - Federação Brasileira de Amor-Exigente
* FETEB - Federação Brasileira das Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil
* JACS Brasil - Judeus Alcoólicos, Comprometidos com Drogas e Seus Familiares
* Pastoral da Sobriedade
* UNIAD - Unidade de Pesquisa em Álcool (Universidade Federal de São Paulo)

O JACS-Brasil enviou 8 representantes. Anna Vitória Bregmann foi membro da Comissão Organizadora e Marcelo Bruno Spodek coordenou o Vetor de Mútua-Ajuda, com grande sucesso e eficiência. De acordo com a psicóloga e secretária da Abead, Selene Barreto, o encontro foi extremamente proveitoso e oportuno para discutir sobre a questão das drogas. "As palestras temáticas, que abriram as discussões teóricas dos grupos, foram de grande contribuição e deram bases para um grande debate", revelou Selene, que foi também membro da Comissão Organizadora e relatora do grupo temático de Pesquisa e Capacitação do fórum. Adriana Bialski considerou o Fórum uma das mais eficientes reuniões de profissionais e ativistas em que tenha participado.

O encontro reuniu 600 profissionais e ativistas de todo país, ligados a entidades científicas e ONGs que atuam na área de álcool e outras drogas.

Os grupos de trabalho elaboraram diversas propostas e moções, que deverão ser encaminhadas a órgãos de governo nos âmbitos Federal, Estadual e Municipal. Caso tais propostas sejam encampadas pelos órgãos governamentais, estarão sendo plantadas as bases para a melhoria das ações e serviços de saúde, pesquisa, capacitação, prevenção, tratamento e proteção social no Brasil.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Fila única nos cinemas

Não é possível ficar quieto quando nossos deputados estaduais derrubam o veto do governador Sergio Cabral sobre a lei que determinar lugares marcados no cinemas e fila única: só uma fila para comprar e entrar na sala de exibição.

A quem interessa isso? Ao povo? Os deputados são nossos representantes mas o que estão representando quando intrometem o Estado até mesmo nas escuras salas de cinema? Os donos de cinema pediram? Creio que não. O público pediu? Creio que não. A ANCINE pediu? Creio que não. Os diretores e atores? Também não. Então a quem interessa essa bobagem que virou lei?

Não se leva em conta a realidade. Eu entro no cinema e sento onde eu quiser. Já é assim a mais de 50 anos! Se meu lugar não for legal, se minha cadeira estiver ruim ou suja, se tiver gente me enchendo o saco em volta, eu mudo de lugar! Agora terei lugar marcado e se mudar de lugar, alguém virá me tirar.

Agora, como comprar lugar marcado? Cada cinema terá um painel digital enorme de lugares a disposição para CADA UMA DAS SESSÕES? Será que os deputados não entendem que se compra ingresso adiantado pela internet ou mesmo na bilheteria? Será que não percebem que passará a haver lugares BONS e lugares RUINS? Quem vai pagar pelo "lugar ruim"? Eu, você? Seria mais digno remover as cadeiras dos lugares ruins.

Talvez tenha sido essa a intenção. Eu chegar, comprar um ingresso, entrar na sala e ter sobrado apenas aqueles lugares lá dentro da tela... Aí eu estaria protegido e... Não iria ver o filme. Ainda não sei o que é pior. Mas cinema não que nem avião onde as configurações são semelhantes e vc sabe onde vai sentar em qualquer vôo. Cada cinema é diferente e ninguém vai saber realmente que lugar escolher.

E cinema não é igual a teatro onde há apenas uma sessão e tempo para assentar todos. Já imaginou umas 250 pessoas procurando seus lugares?

Isso vai introduzir uma confusão desnecessária na sociedade e fez muito bem o governador do RJ em vetar e fez muito mal a nossa queria Assembléia Legislativa em derrubar o veto.

Quanto à fila única, isso beira a estupidez mesmo. Creio que os deputados nunca foram ao cinema, ou pelo menos aos cinemas modernos onde há fila única para compra de ingressos em enormes balcões com atendimento rápido e filas de cada sala para entrar. Há complexos com 10, 15, 20 cinemas espalhados ao longo de edificações e é muito idiota pretender que cada sala possua uma bilheteria. Pior ainda é definir que só pode haver uma fila. Sendo assim, o impaciente espectador só poderia comprar o ingreso ao ser liberada a entrada na sala, ou então iria para outra fila de qualquer forma...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE SITE LETRAS.TERRA.COM.BR

Recebemos hoje dezenas de emails repassados da matéria original do "De Olho na Mídia" do dia 3 de novembro e outras que se referem à matéria e acrescentam conteúdo desorganizado datada originalmente do dia 7 de novembro com o título sensacionalista e contraproducente: "ANTI SEMITISMO musica no site TERRA!!! INACREDITÁVEL!!! e a resposta do terra"

O incidente anti-semita denunciado com propriedade pelo "De Olho na Mídia" foi resolvido no dia 4, portanto não há propósito algum nesta onda de emails alarmistas. Novamente as pessoas repassam conteúdo alarmista sem ao menos clicar nos links do email original para ver se algo mudou ou para se certificar do original. O alarme desqualificado é sempre encarado como a expressão da verdade e isto não pára de se repetir a cada caso.

Quem o denunciou inicialmente ao Terra agiu de forma absolutamente correta.

Ao clicar em qualquer link do email original


se chega a uma página do site em questão com uma nota oficial assinada pelo seu responsável. Ela deve ser lida por todos os que se interessaram por este caso.

O portal Terra, como quase todos os grandes portais usa o sistema de "moderação posterior" de comentários ou conteúdo. Este sistema é legítimo mas deplorável, pois permite que conteúdo infrator das leis brasileiras fique no ar até alguém perceber, reclamar, a reclamação ser lida e uma providência ser tomada. Se não houver reclamação, não haverá moderação. Para haver "moderação anterior" seria necessária a contratação de "moderadores de conteúdo", coisa que os grandes portais, com grande poder econômico, não estão dispostos a fazer. Não sabemos por quanto tempo e quantas letras destes grupos ficaram disponíveis. Mas garanto que não é só lá.

O que não pode ser feito é ignorar os mecanismos de denúncia dos sites e portais e partir para um alarme ANTES de uma denúncia formal. A notícia do crime não pode ser anterior a sua denúncia. A notícia não pode ser a própria denúncia.

Mas este caso resultou numa atitude positiva, pois o "letras.mus.br" declara: "Para evitar que o problema se repita, desenvolveremos um sistema para detecção de palavras-chave que nos auxilie a remover proativamente letras com conteúdo ilegal e incluir um link em todas as páginas "Denuncie conteúdo impróprio" para que este processo seja ainda mais ágil." Esta é uma atitude correta dentro do exigido pela lei brasileira e por suas próprias normas internas de conduta.

Ao contrário do pretendido na nota oficial do Terra, quem publica, quem mantém o portal é sim responsável pelo seu conteúdo. Perante as leis que temos, o preconceito "cantado" ou quem sabe, "tatuado" é uma coisa. A letra impressa e publicada é outra coisa, bem tipificada. É uma publicação da imprensa como qualquer outra.

Agora quanto ao título do email do dia 7 que se propaga até o momento, "Inacreditável" não é a publicação de conteúdo nazista. Ela é real! Acredite! Os grupos Stuka, Comando Blindado, Locomotiva, Zurzir e outros são bandas nazi ou de supremacia branca, que atuam quase abertamente no Brasil há muitos anos. A letra citada é uma das "bobinhas" em relação a outras destes grupos com forte conteúdo anti-judeus, anti-negros e anti-nordestinos.

Normalmente seu conteúdo se restringe a sites nazistas. Tais bandas produzem CDs caseiros, colocam músicas na internet e promovem shows, principalmente em SP e nos estados do Sul do Brasil. Não pode haver a incredulidade da existência destes grupos e nem pode haver a incredulidade de sua militância que atua de todas as formas tradicionais e digitais possíveis para difundir seu ódio contra os "não-brancos" e contra os judeus.

José Roitberg - FIERJ

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

A bossalidade do terrorismo suicida

Fierj Clipping

BBC conversa com futura mulher-bomba em Gaza

Plantão Globo | Publicada em 14/10/2008 às 08h39m

BBC 

Grupos militantes na Faixa de Gaza estão se armando e se preparando para uma possível retomada da violência, segundo evidências obtidas pela BBC.

Apesar do cessar fogo em vigor no momento, o correspondente da BBC no Oriente Médio, Paul Wood, visitou um programa de treinamento para homens e mulheres-bomba que está sendo oferecido pela organização militante Jihad Islâmico.

Wood conversou com uma palestina de 18 anos que atende pelo pseudônimo de Oum Anas. Ela está recebendo treinamento em um lugar secreto no norte da Faixa de Gaza.

O correspondente viu oficiais do Jihad Islâmico amarrarem uma faixa de mártir islâmica na cabeça de Anas e posicionarem um cinto com explosivos em uma mesa, ao lado de dois fuzis kalashnikov e da bandeira preta do grupo.

Segundo o correspondente, Anas, recém-casada, falou com firmeza e clareza a respeito da decisão de se tornar uma mulher-bomba - ou mártir, termo usado pelos militantes.

"Decidi me tornar uma mártir porque esse é o sonho de todo menino e menina palestino vivendo nessa situação", disse Anas. "Tomei minha decisão há um ano".

"Nós vemos a forma como os palestinos vivem, vemos o que a ocupação (por Israel) está fazendo conosco. Eles matam nossas crianças, nossas mulheres idosas, eles jogam bombas em nossas mesquitas mesmo quando estamos dentro, rezando", prosseguiu.

"É por isso que nos tornamos mártires, para defender nosso país".

O correspondente sugeriu que há outras formas de combater os israelenses e perguntou por que Anas havia escolhido aquela em particular.

"Tenho certeza de que este é o único caminho e é o caminho que amamos. Fomos criados para nos tornar mártires de Deus", explicou. "Todos os palestinos foram criados para lutar em nome de Deus".

"Claro que se apenas atirarmos pedras nos judeus eles vão ficar com medo, mas imagine o que acontece quando os pedaços de corpos voarem sobre eles".

Wood comentou que Anas havia se casado há pouco tempo e perguntou o que seu marido pensava de sua decisão de se tornar uma mulher-bomba.

"Quando meu marido se casou comigo ele sabia do meu modo de pensar. Ele sabe exatamente quem eu sou e dicidiu se casar comigo baseado nisso. O casamento não representa um obstáculo de maneira alguma".

"Isto (a minha decisão) é uma inspiração que vem de Deus e você está certo do que está fazendo, escolheu seu caminho e não se arrepende".

Ao ser indagada sobre o que seus pais e irmãos pensam de sua decisão, Anas explicou que a família não sabe.

"Mártires, homens ou mulheres, tem de trabalhar em segredo, ninguém pode saber. Você tem de tomar muito cuidado para não dar nenhum sinal do que está prestes a fazer.

"Às vezes eles sentem ou vêem os sinais do martírio no seu rosto, sentem que há algo diferente mas não sabem ao certo".

O correspondente da BBC perguntou se Anas mudaria de idéia caso ficasse grávida.

"Eu teria o bebê, o criaria por algum tempo e depois o entregaria aos meus sogros para que eles tomassem conta dele. O bebê ficaria, como um pedaço de mim".

Quanto ao tipo de alvo que estaria preparada para atingir, Anas não faz distinções entre civis e militares, mulheres e crianças.

"(Eu mataria) soldados israelenses e civis também, porque ambos tomaram nossa terra", disse.

"Crianças são civis mas crescem e se tornam soldados. São todos iguais, todos foram educados para nos odiar".

"Eles precisam saber que a Palestina é apenas para os palestinos".

"A idéia (de que minha morte é iminente) está sempre na minha mente. Tomo cuidado a cada passo que dou porque sei que vou me sacrificar", disse Anas. "Tento não cometer erros para que possa estar pronta para o martírio".

Para o correspondente da BBC, a motivação por trás da decisão de Anas é religiosa e não nacionalista.

Durante muito tempo, a lei islâmica proibia que mulheres fossem usadas em operações militares, mas a lei foi alterada por clérigos islâmicos em Gaza há alguns anos. 

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Duas matérias exclusivas e inéditas na TV brasileira

Duas matérias exclusivas e inéditas na TV brasileira neste domingo em Comunidade na TV. Veja o professor e jornalista Moyses Fuks contando como ele criou a expressão "Bossa Nova" na Bibioteca Bialik, local que abrigou os primeiros eventos dessa modalidade musical... E também a cineasta Melitta Tchaikovsky com trechos exclusivos sobre seu documentário com os refugiados muçulmanos do Darfur em Israel. CTV é às 12h15 de domingo na CNT Rio, NET Rio 14 e Sky 24 em todo o Brasil e às 18h30 na NET Rio 14.        www.youtube.com/fierj

SOLDADOS QUE VIERAM DE LONGE

Livro do Professor Israel Blajberg sobre os 42 Heróis Brasileiros Judeus da II Guerra Mundial,  será lançado domingo 19 de outubro de 2008 às 18:00 h no Centro de Estudos de Pessoal  e Forte Duque de Caxias, Praça Almirante Júlio de Noronha s/nº. – Leme, com a presença de Autoridades Civis e Militares, para o Vin d'Honneur  e Nominata em homenagem aos Ex-Combatentes presentes.
 
Editado pela ACADEMIA DE HISTÓRIA MILITAR TERRESTE DO BRASIL e FIERJ – FEDERAÇÃO ISRAELITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, com participação especial do Gen Ruy Leal Campello, Veterano do Regimento Sampaio da FEB e do Batalhão Suez, apresentações do Cel Cláudio Moreira Bento, Presidente da Academia e Eng Sergio Niskier, Presidente da FIERJ, prefácio do Cel Germano Seidl Vidal e mensagem do Marechal Waldemar Levy Cardoso.
 
Dos militares brasileiros judeus que integraram as forças brasileiras de Terra, Mar e Ar no maior conflito do século XX, 26 eram da Força Expedicionária Brasileira (Itália), 4 do Exército Brasileiro (Defesa do Litoral), 4 da Marinha do Brasil, 3 da FAB e 5 da Marinha Mercante.
 
Sua participação foi até agora pouco conhecida, inclusive os agraciados com medalhas concedidas apenas em casos de bravura excepcional em combate, como a Silver Star do Exército Americano e a Cruz de Combate de 1a. Classe
 
História gloriosa, permaneceu quase desconhecida por 60 anos, até que uma homenagem foi prestada no Grande Templo Israelita do Rio de Janeiro no Dia da Vitória em maio de 2005.
 
SOLDADOS QUE VIERAM DE LONGE é a historia destes valentes soldados que não hesitaram em expor-se ao duplo perigo, removendo a pátina do tempo desta epopéia, que ficará como exemplo de patriotismo para as futuras gerações.
 
A obra incorpora ainda um retrospecto de Ações de Cidadania e Cerimônias Cívicas Realizadas pela FIERJ.

B`NAI B`RITH VITORIOSA EM AÇÃO

O juiz de Direito Wilson Lima da Silva, da 8ª. Vara Cível de Osasco julgou improcedente a ação movida pelo advogado paulista Fábio de Oliveira Ribeiro, autor de uma revista eletrônica anti-semita, que foi tirada do ar pelo provedor IG, em 2005, após a B'nai B'rith entrar com uma representação junto ao Grupo de Análise dos Delitos de Intolerância da Policia Civil de São Paulo (GRADI). A representação encaminhada mostrava claramente que a revista eletrônica incitava ao anti-semitismo ao comparar a figura de Moisés à de Hitler, e ao procurar transmitir a mensagem de que o judaísmo deveria ser equiparado ao nazismo. Em face desta representação, o provedor IG decidiu não mais hospedar a página do autor, a partir de 27 de janeiro de 2005.

Inconformado, o autor alegou se sentir ofendido no seu direito de liberdade de expressão, processando a B'nai B'rith, solicitando que a sua página fosse recolocada no provedor, e que a entidade fosse condenada em danos morais por constranger a liberdade de expressão. Disse também sentir-se ofendido por ser tachado de racista e preconceituoso. A sentença entendeu como pertinente a reação da B'nai B'rith, pois o texto se caracterizava como anti-semita, e que "o autor, intitulando-se advogado, bacharel em Letras, escritor, devia saber ao sugerir, desenvolver e divulgar a equação judaísmo = nazismo / Moisés = Hitler que estava sujeito à reação". Diz ainda a sentença: "sabe-se que Hitler, à frente do nazismo, perseguiu e exterminou judeus e mais judeus".

Sobre a política de perseguição/extermínio o juiz declara: "Política demagógica para conquistar as massas, que não só levou à matança de judeus, mas também à sua redução a uma segregada subclasse sem direitos. Nos campos de extermínio, por exemplo, assassinava-se por mero ódio, pouco importando o que a vítima fez ou deixou de fazer". A B'nai B'rith agradece ao advogado Ernesto Lippmann por sua firme atuação neste caso, e está sempre vigilante contra a violação aos direitos humanos e contra a intolerância religiosa, étnica, racial, de gênero e a tudo o que fere a dignidade humana. 
(Fonte: B'nai B`rith do Brasil)

CJL SE REÚNE EM ASHKELON

Em uma mostra de solidariedade com a população do Sul de Israel, que constantemente vive sob a ameaça de ataques de mísseis, a partir da Faixa de Gaza, em 23 de setembro se realizou a reunião da Junta Diretiva do Congresso Judaico Mundial (CJM), na cidade de Ashkelon. Mais de 150 líderes judeus de todo o mundo viajaram para participar da reunião, junto a representantes e das cidades, kibbutzim e moshavim próximos à cidade de Ashkelon. Os principais temas abordados estão relacionados a ameaça que representa o Irã para os países do Ocidente, Israel e para todo o mundo judaico, a promoção do diálogo inter-religioso e a importância do envolvimento dos jovens na liderança das comunidades Judaicas. Ficou acertado que a 13ª Assembléia do Congresso Judaico Mundial se realizará em janeiro de 2009, em Jerusalém, quando acontecerá as eleições para a direção da entidade. 
(Fonte CJL)

CAMPINAS INSTITUI O DIA DE JERUSALÉM

Diário Oficial Prefeitura de Campinas 25/09/08
LEI Nº 13.428 DE 24 DE SETEMBRO DE 2008 - A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei: Art. 1o - Fica instituído no âmbito do Município de Campinas o "Dia de Jerusalém" a ser comemorado atualmente no dia 06 de junho. Art. 2o - O "Dia de Jerusalém" deverá contar com atividades culturais e sociais voltadas à valorização da contribuição da migração e da cultura israelita para com o desenvolvimento da região de Campinas. Art. 3o – As despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas, se necessário. Art. 4o – O Executivo regulamentará por decreto esta lei no prazo máximo de 30 (trinta) dias. Art. 5o - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Paço Municipal, 24 De Setembro De 2008

DR. HÉLIO DE OLIVEIRA SANTOS
Prefeito Municipal

PROT. 08/08/6624
AUTORIA: VEREADOR ANTONIO FLORES

PROF. GENES – 89 anos / SCHOLEM ALEICHEM – 80

1º DE NOVEMBRO - HEBRAICA

Prof. Genes, Lererke Ethel, S. Silvério, D. Mina, Chiquinho e Chiquinha.

Se esses nomes te dizem alguma coisa, você é um dos nossos!!! E é exatamente por isso que você está sendo convocado a responder à lista de presença na festa comemorativa dos 89 anos do Prof. Genes e 80 anos do Colégio Israelita Brasileiro Scholem Aleichem. O encontro, que está sendo organizado por uma comissão de ex-alunos, vai acontecer no dia
1º de novembro, na Hebraica.

Vai ser um verdadeiro túnel do tempo. Vamos rememorar histórias vividas dentro e fora das salas de aula, nossos queridos (e os não tão queridos assim) professores, funcionários maravilhosos e, claro, nossas vitórias incontestáveis nas Macabíadas escolares. Vamos nos deliciar revendo fotos antigas e reconhecendo (ou não) rostos e ambientes tão conhecidos de todos nós.

E para os que engordaram, ou perderam todos os fios de cabelo, aqui vai um consolo: você não é exceção!!!! O tempo passou para todos. O que importa é compartilharmos as delícias e (porque não?) as aflições do passado.

Para baratear o preço dos convites, optamos por priorizar aquilo que,

entendemos, seja o foco principal e razão máxima da festa: as emoções do reencontro. Vamos ter, claro, tira-gostos e refrigerantes, mas tudo muito simples. O valor do convite embute o aluguel do salão, contratação do som e do telão (sim, vamos nos ver em fotos nostálgicas), buffet, impressão dos convites e aquisição de etiquetas, toalhas de mesa, o bolo e muitos etcs. mais, que necessitam de colaborações extras, voluntárias, para não encarecer o convite, restringindo a participação.

Queremos que essa festa "bombe" e, para isso, precisamos que você repasse essa mensagem a seus amigos da comunidade Scholem e nos envie os endereços eletrônicos para que possamos incluir o maior número de pessoas no nosso cadastro.

Os convites já estão disponíveis para venda.
O valor é de R$50,00, mas quem quiser e tiver disponibilidade pode contribuir com mais. Da mesma forma, se alguém precisar parcelar o pagamento, é só entrar em contato conosco. Só não vale é ficar de fora dessa festa!!!!

Horário: 20h à 01h
Telefones de contato: 8799-0004 - Liana 
3251-4214 – Sarita
 
Obs1: Todos os membros da comissão organizadora dispõem de convites para vender. Conta corrente para depósito de colaborações - Banco - Bradesco, número 237
C/c: 6412-2 - Ag: 2949 Titular: CADIJ
CNPJ 07539218/0001-68

Comissão organizadora
Ester Jablonski, Mauro Band, Paulina Herson Gonik, Rosane Jablonski, Mauro Herson, Francis Waymberg, Liana Genes e Milton Genes

Dia da Criança na HEBRAICA

A HEBRAICA RIO convida todas crianças e seus pais, para amanha sabado dia 11 de outubro, vespera do dia das crianças. A partir das 15:00 horas. BERNARDINHO E A EQUIPE FEMININA CAMPEA OLIMPICA. ESTARÃO DANDO UMA AULA NO CLUBE - não perca - Não prescisa ser Sócio - SHALOM
LUIZ MAIROVITCH - PRESIDENTE HEBRAICA RIO. 

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

NOTA OFICIAL FIERJ - 02 outubro 2008

A FIERJ - Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro - entidade representativa da Comunidade Judaica do Estado do Rio de Janeiro, decepcionada com um e-mail enviado por um rabino de nossa cidade, recomendando posicionamento comunitário nas próximas eleições, vem através desta nota informar:

Não existe em nossa comunidade um organismo central religioso, razão pela qual não há na estrutura comunitária a figura de rabino chefe, que tenha autoridade religiosa sobre toda a comunidade.

Todas as linhas religiosas são igualmente respeitáveis. Nenhum rabino fala por toda Comunidade, e suas opiniões devem ser consideradas restritas à si próprio, não podendo ser entendidas como posição comunitária.

Nossa comunidade tem eleitores e simpatizantes de todos os partidos, e portanto não há recomendação de liderança para votar em um ou outro candidato, ou qualquer tipo de restrição publica.

A única recomendação, é que todos devem votar com consciência, escolhendo bem seus candidatos sem qualquer influência externa, e depois do pleito, em conjunto com toda a Sociedade, ajudar os eleitos a fazer de volta o Rio de Janeiro ser a Cidade Maravilhosa que tanto amamos.

Nossa Comunidade não se deixará influenciar por e-mails que agridem e ofendem candidatos, e a FIERJ repudia todos aqueles que querem transformar este pleito em algo diferente do que a verdadeira manifestação livre e democrática de escolha das novas lideranças municipais, direito tão duramente reconquistado por nosso povo.

Política não se faz com ódio, ignorância ou preconceito. A falta de respeito só serve para marcar bem aqueles que não sabem conviver em grupo, se achando donos da verdade, quando na verdade com este tipo de atitude, só estão mesmo atrapalhando a vida comunitária.

Todos às urnas no próximo domingo, com alegria, com energia, e com o coração aberto para uma escolha correta e consciente.

Sergio Niskier - presidente

MENSAGEM DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA PARA A COMUNIDADE JUDAICA DO BRASIL POR OCASIÃO DO INÍCIO DO ANO DE 5.769

Com muito carinho me dirijo à comunidade judaica neste momento tão especial, em que se celebra o início do ano 5769.

Nesta oportunidade quero transmitir a todos vocês a admiração que me causa o exercício de reflexão empreendido pelos judeus nos dias que separam o Rosh Hashaná do Yom Kipur.

Avaliar o próprio comportamento, pedir perdão pelos erros, procurar sempre acertar mais, renovar os compromissos de ser solidário e fazer justiça, tudo isso tem um profundo significado ético. E nos ajuda – independentemente de religião, nacionalidade ou etnia – a ser pessoas cada vez melhores.

Recebam meu caloroso abraço e os votos de mais um ano bom e doce: Shaná Tová u Metuká.

Luiz Inácio Lula da Silva

Prêmio Adolpho Bloch 2008

A FIERJ em conjunto com o CCEI ADOLPHO BLOCH, fará a entrega do Prêmio Adolpho Bloch 2008, à diversas personalidades, em homenagem ao centenário deste grande líder de nossa comunidade, Adolpho Bloch Z'L.

Na mesma ocasião, haverá a inauguração do Jardim da Amizade, onde serão homenageados brasileiros que lutam pelos direitos humanos, com o plantio de árvores aqui no Rio de Janeiro e árvores irmãs em Israel.

Informações e convites no Clube da Barra, 2498-2111

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Comunidade na TV de domingo será reapresentado hoje

Devido a problemas técnicos na transmissão do Comunidade na TV pelo canal 14 da NET no domingo passado, o programa será reapresentado hoje, quinta-feira às 19h no canal 14 da NET- RJ. No domingo para muitos assinantes NET, mas nem todos, o áudio do programa veio sem sincronização com a imagem. Como nosso programa é entregue em fita profissional, não é possível haver tal problema tecnicamente. O  departamento técnico na NET também não conseguiu definir onde houve o problema e nos desculpamos com nosso público convidando para assistir novamente o programa hoje às 19h.

Sobrinho de Hitler em Israel? Não parece ser possível...

por José Roitberg - jornalista

Originada alguns dias atrás por uma matéria em inglês na Aish, rapidamente um texto estranho sobre a existência de um sobrinho-neto de Hitler, judeu, em Israel, professor universitário conceituado, se alastrou pelo mundo. Se estivéssemos em abril, estava tudo explicado. Este é um dos exemplos típicos da credibilidade total que as pessoas atribuem ao que é colocado na Internet. Ainda tem gente chamando a "Garoto" de anti-semita...

Recebemos vários emails com os títulos: "Olha só!", "Você Sabia?", "Impressionante!" Mas mas pessoas não fazem a mínima autocrítica ou tentam confirmar fatos históricos para saber se um texto enviado pela Internet pode ser verdadeiro ou não. Sempre que convém é verdadeiro. Quando não convém é falso.

Acho até curioso. Quando eu escrevi que a ministra da educação de Israel foi expulsa e agredida por alunos em Merkaz Harav, um monte de gente me acusou de mentiroso! Calma aí, pois a ministra esteve no Rio de Janeiro, nós a entrevistamos sobre este assunto e ela vai contar para todos os descrentes o que aconteceu com ela na ocasião. Vai ser no programa após Iom Kippur...

Agora, quando um texto da Aish, re-publicado em tudo quanto é canto, diz que um sobrinho-neto de Hitler estudou em Merkaz Harav todo mundo acha a coisa mais natural, acima de qualquer tipo de crítica...

Essa matéria estranha, afirma que uma pessoa não identificada, chamada apenas por "Dr. Daniel Brown", o que já deveria detonar a credibilidade, teria nascido em 1952 (nomes dos pais também não publicados) afirmando que sua avó se chamava Erna Petra Hitler. "Daniel" diz que Ema "tinha um sogro que era irmão de Hitler." Pronto! Esta matéria deveria terminar aqui, pois Hitler não teve irmãos e ponto final! Apenas Adolf e Paula chegaram a idade adulta.

"Daniel" diz ainda que Ema se casou com Hans Hitler, filho do tal irmão de Adolf...

O sobrenome Hitler era especificamente comum na Alemanha com várias grafias. Alguns anos atrás, tomamos um susto na FIERJ quando um senhor, com a esposa dele e a filha, vieram para uma entrevista de aliá: o sobrenome da família judaica era "Hittler" com dois "t", na carteira de identidade brasileira! Conversei com ele. Perguntei se isso tinha trazido problemas e ele respondeu que a vida inteira. Perguntei por que nunca trocou e ele disse que jamais trocaria pois conhecia a origem de sua família judia alemã desde o século 18 e tinha orgulho do sobrenome. Fizeram aliá e moram em Israel sem nenhuma dificuldade. Um grupo de pessoas chega no controle de passaportes com o sobrenome "Hittler" e nada de diferente acontece... Mas a filha de nosso embaixador, essa sim era suspeita...

A biografia de Adolf Hitler é especificamente conhecida e divulgada em dezenas de livros dos mais diversos pesquisadores anti-nazi, nazi e isentos dedicados à vida da besta nazista. Não há discussão sobre a família dele. Todos concordam.

O pai dele, Alois Schickelgruber tinha o sobrenome da mãe pois era filho da pai desconhecido. Em 1876 adotou o sobrenome do padrasto que se chamava Johann Georg Hiedler. Este sobrome era soletrado como Hiedler, Huetler, Huettler e Hitler, sendo padronizado por escrivãos como Hitler.

Adolf nasceu Hitler filho de Alois e Klara Poetzl (segundo casamento). Seus irmãos foram Gustav (morreu aos 2 anos), Ida (morreu aos 2 anos) Otto, morto antes de um ano, Emund (morreu aos 6 anos) e Paula, morreu em 1960. Portanto não há outro irmão na história.

Paula tinha pouco contato com Adolf, tendo-o perdido totalmente antes da Primeira Guerra Mundial e só voltando a encontrá-lo em 1920. A partir de 1929 ela o via apenas uma vez por ano. Em 1936, por motivos de segurança, Adolf pediu que ela mudasse o sobrenome para "Wolf" seu apelido de infância. (Fausto Wolff, gente... Se toquem...) Durante a Segunda Guerra ela trabalhou como secretária num hospital militar e foi presa pela inteligência militar americana em 1945, permanecendo vários meses na cadeia. Voltou para Viena e em 1952 retornou à Alemanha onde viveu isolada até sua morte em 1 de junho de 1960. Nunca se casou e não teve filhos.

Os dois filhos do primeiro casamento de Alois Hitler foram Angela Matzelberger que casou com Leo Raubal e seus filhos tiveram este sobrenome, e Seu irmão, também chamado Alois. Este foi viver na Irlanda e chegou a Londres em 1910. Teve uma filha Brigid Hitler e um filho William Patrick Hitler que foram ativistas anti-nazistas na Segunda Guerra na Inglaterra, EUA e Canadá.  William casou-se nos EUA e teve 4 filhos que optaram por não terem filhos e encerrar
a linhagem.

Esse caso do "Brown Hitler" parece ser uma grande asneira sem fundamento histórico algum. Ele pode até ser descendente de uma Ema Hitler, mas em meio a outros milhares de "Hitlers" judeus e não judeus alemães, sem relação com a família do carrasco de 6 milhões.

MARCHA CONTRA INTOLERÃNCIA RELIGIOSA

Caros amigos,

No próximo domingo, dia 21, a partir das 9h30 da manhã acontecerá a grande marcha contra a intolerância religiosa. A FIERJ é uma das organizadoras desta marcha apoiada por toda a sociedade de nosso Estado, onde se espera a presença de mais de 100.000 pessoas.

É importante a presença física de nossa comunidade para protestar contra a violência religiosa, representada pelas tentativas de conversão demagógica e proselitista e a violência física, ocorrida em especial contra os praticantes de religião de matriz africana.

Nunca é demais lembrar que o preconceito e a intolerância não atacam apenas a um grupo. Infelizmente temos experiência nesta área. Precisamos nos juntar a todas as forças democráticas de nosso País e por isto, domingo, a partir das 9h30, no Leme, sua presença é importantíssima.

Convoque seus amigos, seus familiares, membros de sua instituição, seus vizinhos, enfim todos à MARCHA PELA LIBERDADE RELIGIOSA. Estaremos no calçadão com uma faixa da Federação Israelita a partir das 9h30 da manhã esperando você e todos que você conseguir mobilizar para este movimento de respeito à cidadania.
Com um cordial   Shalom,

Sergio Niskier – Léa P. Lozinsky - Jayme S.Salomão

TIC NO DIA 23 NA HEBRAICA

 Não deixe de ir à volta do TIC - Teatro Israelita de Comédia, em comemoração aos 60 anos de Israel, com a leitura dramatizada da peça inédita "Ele Caminhava Pelos Campos", do autor israelense Moshé Shamir que trata de um período pouco discutido de Israel. Era o momento em que os chaverim kibtuz tinham que decidir se entravam na Haganá para lutar contra o domínio inglês ou na Brigada Judaica Inglesa para lutar contra os nazistas na Europa. Grande elenco encabeçado por Bruce Gomlevesky, Daniel Barcelos, Gilberto Marmorosh, Leo Wainer e atores e atrizes da Casa de Artes Laranjeiras - CAL e Tablado. com direção de Felipe Wagner. A entrada é franca, às oito da noite na Hebraica-Rio.

Campanha da APAE Bnai Akiva RJ

A campanha da APAE foi idealizada por chanichim do Bnei Akiva, com intuito de receber doações que serão entregues na APAE. O Bnei Akiva estará recebendo as doações até o dia 28/09 nas duas unidades do colégio TTH BAR-ILAN. Na Tijuca, de 14:00h às 15:00h, nos dias de semana, e nos finais de semana logo após o término do Shabat. Em Copacabana, de 13:30 às 18:00h, nos dias de semana, e nos finais de semana logo após o fim do Shabat. Estaremos recebendo materiais de limpeza, materiais escolares e alimentos. Uma lista que ajudará a todos a saber o que levar:

Alimentos: - Maizena - Biscoito (Cream Craker, Biscoito Maizena) - Açúcar - Nescau
- Leite em pó - Neston - Mate, em pó de preferência - Aveia - Suco - Arroz

Material de Limpeza / Higiene: - Papel Higiênico - Desinfetante - Cloro - Detergente - Sabão em Pasta - Sabonete Líquido (para banheiro) - Papel Toalha (para banheiro)
- Bombril

Material para Atendimento dos Alunos: - Fita Adesiva - Papel A4 - Cartolina - Cola Branca - Massa de Modelar - Cola Colorida - Giz de Cera - Argila - Papel Laminado - Fita Crepe - Tesoura (escolar, sem ponta) - Guache

Maiores informações: socel16@hotmail.com

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Visita aos cemitérios será no dia 28

Devido a coincidência do de datas entre o dia da eleição - 5 de outubro - e a tradicional visita aos cemitérios judaicos entre Rosh Hashaná e Iom Kippur, para evitar transtornos a Chevra Kadisha transferiu a visitação para os dia 28 de setembro. Haverá ônibus saindo do Barilan e da Chevra, às 08h30 para os cemitérios de Vila Rosali e Vilar dos Telles.

Anti-semitismo matemático

A edição de hoje do jornal "Metro Magazine" distribuído gratuitamente no Rio de Janeiro, cujo lema é "A informação não tem preço", demonstra também que a informação não conhece matemática. Na página 7 uma matéria denominada "Judeus avançam na Cisjordânia" inicia como uma declaração bombástica, propagandística e absurda: "Judeus assentados ocuparam milhares de quilômetros quadrados da Cisjordânia, expandindo o perímetro de suas comunidades. Eles ainda importunam fazendeiros palestinos..." A referência é a uma nota do grupo de direitos humanos israelense B'Tselem que publicou a ocupação, segundo eles ilegal de 1.100 acres. Querem acabar com o diploma de jornalista, mas talvez fosse bom colocar matemática básica no currículo! 1.100 acres são 4,5 km quadrados... Nunca "milhares"...

Anti-semitismo aeroportuário

Circulam pelas listas de discussão dos sindicatos de aeroportuários e da Infraero alguns emails de cunho anti-semita que vinculam as decisões do governo do Estado do Rio de Janeiro a uma obediência aos empresários judeus, que também estariam pretendendo se beneficiar das privatizações dos aeroportos, proposta pelo Governo Federal. Nos emails, ainda há a desinformação de que o governo Fluminense está comprando escavadeiras blindadas para derrubar barracos nas favelas, como Israel faz com os palestinos. Departamento Jurídico da FIERJ já enviou um ofício ao Presidente do Sindicado Nacional dos Aeroportuários protestando com veemência contra o texto anti-semita, exigindo uma retratação, e está preparando medidas de ordem legal contra seu autor.

Mensagem da Embaixadora De Israel no Brasil

Mensagem da Embaixadora de Israel, Sra. Tzipora Rimon, à Comunidade Judaica do Brasil, por ocasião do Ano Novo Judaico – 5769 e de suas despedidas

 Caros amigos,
Como todos os anos quando nos aproximamos no final do mês Elul e início do Ano Novo em Tishrei, desejo à toda a comunidade judaica do Brasil meus sinceros votos de sucesso, saúde e prosperidade.

Este ano marca também a minha despedida - encerro na próxima semana a minha missão como Embaixadora da Israel no Brasil e após 4 anos de serviço diplomático no país, regresso a Israel.
Foram anos de desafios profissionais, tentando ampliar, cada vez mais a cooperação entre os dois países. Encontramos vastos campos de interesses mútuos para dialogar e assinar acordos bilaterais e com o Mercosul e presenciamos, nos últimos anos, várias visitas oficiais entre os dois países.

Não menos importante, foi para mim a estreita cooperação com a comunidade judaica do Brasil, que através de sua liderança e integrantes buscamos meios para reforçar o vínculo e atuação junto a assuntos pertinentes a Israel e à própria comunidade .

Levarei comigo boas lembranças do Brasil e de todos vocês, sejam nas comunidades pequenas e grandes, nas organizações, nas escolas e movimentos juvenis, nas sinagogas e entidades. Agradeço pela colaboração, calorosa recepção e amizade.

Tenho certeza de que o novo Embaixador, Sr. Giora Becher, encontrará uma boa receptividade por parte da comunidade e continuará contando com a costumeira cooperação.

Shana Tova Umevorechet
Feliz Ano Novo

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Morre Fausto Wolf

 Fausto Wolff, pseudônimo de Faustin von Wolffenbüttel, nasceu em Santo Ângelo (RS), em 1940. Ele começou a trabalhar aos 14 anos de idade como repórter policial do jornal Diário de Porto Alegre e se mudou para o Rio de Janeiro aos 18 anos. Adotando o pseudônimo "Wolf", lobo, Faustin até hoje é considerado como judeu por muitas pessoas da comunidade judaica. Desde sua época como editor do Pasquim, Faustin von Wolffenbüttel foi abertamente o responsável por um grande número de artigos e comentários anti-semitas ao longo de décadas. Orgulhava-se disso e escarnecia dos direitos de resposta concedidos, principalmente nos últimos anos, pelo Jornal do Brasil, onde mantinha uma coluna de forta caráter anti-americano, anti-israelense e anti-semita. Não vai fazer falta. Inflezmente seus textos não morrem com ele e vão ficar perambulando pela internet ainda por muitos anos. Morreu aos 68 anos na noite do dia 5 insuficiência respiratória num hospital do Rio de Janeiro.

Embaixada do Brasil em Israel em novo endereço

 A mudança, para instalações novas e modernas, reflete o novo momento das relações do Brasil com Israel, que exigem, pela sua dinâmica e crescimento, condições ainda mais adequadas de trabalho e representação. A Embaixada esclarece que os números telefônicos, de fax e endereços eletrônicos permanecem inalterados. O modernos prédio é o Discount, com vista fantástica da cidade e do mar, próximo à estação central de ônibus.

Rua Yehuda HaLevi, n. 23, 30o andar,
Tel-Aviv, Israel, código postal 65136

STJ tem novo vice-presidente

O ministro Ari Pargendler, 63 anos, é o novo vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a mais alta Corte do País para julgamentos de questões referentes às leis federais (legislação infraconstitucional). Mesmo considerando cada processo "um quebra-cabeça que tem de resolver", o ministro Pargendler defende medidas mais severas para reduzir a quantidade de processos que chegam ao STJ. Juiz de carreira, Pargendler atuou como advogado e procurador da República em seu estado natal, o Rio Grande do Sul, antes de partir para a magistratura, aprovado em concurso público no ano de 1976. O magistrado chegou ao STJ em 1995. No Tribunal, o ministro participa dos julgamentos dos colegiados da Terceira Turma, Segunda Seção e Corte Especial, além de compor as Comissões de Administração e de Jurisprudência. Quanto ao desafio a ser enfrentado pela nova direção da Corte, o ministro Pargendler destaca que sua função como vice-presidente é despachar os recursos extraordinários, ou seja, decidir se eles serão encaminhados para exame ao Supremo Tribunal Federal (STF).

FIRGS agora é FIRS

A Federação Israelita do Rio Grande do Sul, conhecida por FIRGS, mudou seu layout visual e agora é apenas FIRS. A nova proposta da gestão de Henry Chmelnitsky é oferecer um visual "clean" e mais conteúdo, principalmente no novo site da instituição . "A partir desse novo site, as informações serão melhor organizadas, permitindo a recuperação de qualquer conteúdo a qualquer momento", informa Henry.

Reformado, Cemitério Israelita de Nilópolis dispõe de mais de mil sepulturas

Localizado a cerca de 30 km da Zona Sul, o Cemitério Israelita de Nilópolis foi amplamente reformado. Possui mais de mil sepulturas (duplas) disponíveis, em terreno plano área totalmente murada e com conservação permanente, permitindo custos diferenciados para reservas futuras. Também há possibilidade de proceder ao ofício religioso inicial na capela do Cajú, próxima ao centro do Rio de Janeiro, e posterior translado para Nilópolis. O cemitério fica em um local totalmente asfaltamento, com facilidade de acesso pela Avenida Brasil e retorno pelas via Light e Linha Vermelha. Informações: 2589-2903, 2580-4379

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Lea Lozinski é a nova presidente da FIERJ

Nenhum presente poderia ser melhor ao final da gestão que comemorou os 60 anos de fundação da FIERJ que eleger como sucessora a primeira mulher a dirigir politicamente a Comunidade Judaica do Estado do Rio de Janeiro, sempre na vanguarda política, acompanhando a tendência mundial de mulheres como presidentes e primeiro-ministras.

A FIERJ dá os parabéns a sua presidente eleita, Lea Pustilnik Lozinsky, ao primeiro vice-presidente, Jayme Salim Salomão e ao segundo vice-presidente, Marcio Meilman que estarão à frente de nossa Federação a partir de novembro, pelos próximos dois anos.

Também estão de parabéns os Conselheiros eleitos, cuja lista se encontra abaixo e as mais de duas mil pessoas que participaram desta eleição ratificando o próximo mandato.

Anotamos também a presença de todos políticos membros da Comunidade Judaica do Rio de Janeiro que vieram depositar seus votos: Carlos Minc, Ministro do Ambiente; Marcelo Itagiba, Deputado Federal; Gerson Bergher, Deputado Estadual; Teresa Bergher e Patrícia Amorim, Vereadoras.



terça-feira, 19 de agosto de 2008

Leis de Dispensa de ponto para funcionários públicos nas festas judaicas de 2008

Leis de Dispensa de ponto para funcionários públicos nas festas judaicas de 2008

Rosh Hashaná 29 (segunda), 30 (terça) de setembro e 01 (quarta) de outubro

Yom Kippur 08 (quarta) e 09 (quinta) de outubro

FUNCIONÁRIOS FEDERAIS


link para notícia do Ministério

Pela Portaria n.º 855, de 26/12/2007 (link para íntegra da portaria 855/07) do Ministério do Planejamenro, Orçamento e Gestão, que regulamenta FERIADOS E PONTOS FACULTATIVOS DE 2008,

"As datas previstas na Portaria n.º 855, de 26/12/2007, têm vigência sobre todos os órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica, e fundacional, no âmbito do Poder Executivo, sem prejuízo da prestação dos serviços considerados essenciais.

De acordo com a portaria, os feriados declarados em leis municipais ou estaduais devem ser observados pelas repartições da administração federal, em suas respectivas localidades.

Os dias de guarda de credos e religiões não contemplados pela portaria poderão ser compensados, de acordo com o que determina a lei n.º 8.112/90. Nesses casos, é necessária prévia autorização da chefia."

Isso significa que os funcionários públicos federais que trabalham em todas as cidades do Estado do Rio de Janeiro têm direito de dispensa nos dias de Pessach, Rosh Hashaná e Iom Kippur, de acordo com a Lei Estadual 2874/1997.

Para as categorias abaixo, consultar este link com o texto das leis no site da FIERJ

FUNCIONÁRIOS ESTADUAIS DO RJ


De acordo com esta Lei Estadual 2874/1997, os funcionários públicos do Estado do Rio de Janeiro, têm direito de dispensa nos dias de Pessach, Rosh Hashaná e Iom Kippur.

FUNCIONÁRIOS MUNICIPAIS DO MUNICÍPIO DO RJ

De acordo com a Lei Municipal 1410 de 21 de junho de 1989, os funcionários públicos apenas do município do Rio de Janeiro, têm direito de dispensa nos dias de Pessach, Rosh Hashaná e Iom Kippur. Os funcionários públicos municipais dos outros municípios do Rio de Janeiro, não possuem este direito garantido por lei.

Professores do Estado do RJ e do Município do RJ possuem acordo coletivo válido desde 2001 (consultar no link acima).

Advogados do Rio de Janeiro possuem uma decisão do CONSELHO DA MAGISTRATURA do TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, publicada no D.Oficial de 04/04/2006 (consultar no link acima).

Não há legislação que contemple alunos de escolas, faculdades e outros cursos, nem outras categorias profissionais. Nestes casos, deve-se sempre procurar um acordo.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

CTV recomendados de Agosto

CRUZ DO MÉRITO SPK

Presidente da FIERJ Sergio Niskier recebe a
CRUZ DO MÉRITO DOS EX-COMBATENTES DA
FEDERAÇÃO MUNDIAL DOS EX-COMBATENTES POLONESES

texto e fotos de Israel Blajberg - Diretor de Cidadania da FIERJ

Neste domingo comemorou-se o Dia do Soldado Polonês, com Missa na
Igreja Polonesa na Rua Marquês de Abrantes no Flamengo, com a presença do Embaixador da Polônia no Brasil e cerimônia no Monumento aos Mortos da 2ª. Guerra Mundial, quando diversas personalidades foram agraciadas, com as Medalhas da SPK -Sociedade dos Ex-Combatentes Poloneses, sendo 15 da SPK- Stowarzyszenie Polskich Kombatantow - Brasil e 4 da SPK Mundial com sede em Varsóvia.

Estas últimas, a CRUZ DO MÉRITO DOS EX-COMBATENTES DA FEDERAÇÃO MUNDIAL DOS EX-COMBATENTES POLONESES foram entregues a Cesar Torres, de Porto Alegre, pelo trabalho realizado na preservação da memória
dos Veteranos Poloneses no Brasil;

ao Capitão Joaquim Caetano da Silva, Presidente da Associação Brasileira dos Ex-Comnbatentes do Brasil, pelo apoio conceido aos ex-combatentes poloneses no Brasil;

ao Vice Almirante Gilberto Max Roffe Hirschfeld, Comandante do 1°. Distrito Naval, pelo apoio conceido aos ex-combatentes poloneses no Brasil;

e ao Engenheiro Sergio Niskier, pelo empenho pessoal e como Presidente da FIERJ no reforço dos laços de amizade entre as comunidades judaica e polonesa no Rio de Janeiro, e apoio à Sociedade Polônia no Cosme Velho e aos ex-combatentes poloneses no Brasil. A família Niskier é oriunda da Polônia onde vários de seus membros foram mortos no Holocausto.

O avô de Sergio possuía um loja em Ostrowiec, cuja foto, com o grande letreiro B.NISKIER, única reminiscência da família, está sempre no seu escritório. Um irmão do pai de Sergio, IGNATZ NISKIER, foi membro da resistência polonesa, e combateu na retaguarda, junto com os soldados poloneses que lutavam contra o nazismo, e que são os ex-combatentes que o homenagearam.

O tio de Sergio, foi preso diversas vezes pela policia de ocupação da Polônia. E escapou todas, lutando até o último mês da guerra, quando imigrou para Israel, e lá fez família. Um de seus filhos, já morto, foi herói em Israel, Amiran Nir (o nome que ele adotou em Israel).

LANÇAMENTO DE “HOMENS DE VALOR” DE RACHELLE ZWEIG DOLINGER

Amanhã dia 19, Rachelle Zweig Dolinger lança seu livro "Homens de Valor" em que retrata 65 personalidades, já falecidas, que estruturaram nossa comunidade nos seus mais variados setores. A noite de autógrafos será na Livraria da Travessa, no Shopping do Leblon, a partir das 19 hs.

No livro encontramos as mais importantes personalidades do setor progressista, do campo sionista e da atuação beneficente, ashkenazim e sefaradim. Todos os presidentes da FIERJ, já falecidos, estão incluídos. São 96 anos de história comunitária.

Também estão retratados cientistas, educadores, escritores, músicos, jornalistas, políticos e altos funcionários do governo brasileiro.

A mensagem central do livro se resume no verso bíblico estampado na primeira pagina:

"Lembra-te dos dias d'antanho
Pondere sobre as gerações que se foram
Pergunte a teu pai e ele te dirá
Indague de teu avô e ele te explicará"

Escreve a autora em sua Introdução que, "a sobrevivência, a continuidade de uma comunidade judaica depende do conhecimento, da conscientização dos feitos das gerações anteriores. Este o segredo da inquebrantável tradição judaica através da história. Que as gerações atuais e futuras saibam como foi a passagem de seus antepassados das trevas para a luz, e como aqui construíram uma comunidade solidária e contribuíram para o progresso da nação brasileira".

Eleições FIERJ neste domingo

Neste ano o voto é permitido a partir dos 16 anos!

Você pode marcar ATÉ três (3) candidatos em cada coluna da cédula amarela.

Os moradores de Copacabana, Botafogo e Leme votam no CIB. (9h às 17hs)

Os moradores do Flamengo, Catete, Glória, Laranjeiras, Cosme Velho e Urca votam na Hebraica; os moradores do Leblon, Gávea, e São Conrado votam no Beit Lubavitch do Leblon. (9h às 17hs)

Quem mora em Ipanema, Lagoa, Jardim Botânico vota no Eliezer Max de Ipanema. (9h às 17hs)

Os moradores da Barra, Recreio, Taquara e Jacarepaguá votam no Clube da Barra. (9h às 16hs)

Quem mora no Centro, Santa Teresa, Ilha do Governador, Bairros do Grande Rio, Tijuca e toda Zona Norte vota no Monte Sinai. (9h às 17hs)

Os moradores de NITERÓI São Gonçalo e Região dos Lagos votam na Hebraica de Niterói. (9h às 14hs)

Também haverá urnas na comunidade de Friburgo e Campos dos Goytacases. (9h às 12hs)

Para quem estará curtindo o fim-de-semana na Serra o voto pode ser depositado no clube Shalom de Teresópolis e na Sinagoga Israelita de Petrópolis. (9h às 12hs)

85 anos do FROIEN FARAIN

DIA 31 DE AGOSTO O FROIEN FARAIN REALIZA A COMEMORAÇÃO PELOS SEUS 85 ANOS NO GOLDEN ROOM DO COPACABANA PALACE. Informações: 2567-6838

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Candidatos Inscritos para o Deliberativo

Candidatos Inscritos para o Deliberativo

ASSISTÊNCIA SOCIAL

101 Gina Dachis

102 Hélio Touriel

103 Nissim Cohen Hallale

104 Raphael Cohen

105 Sheila Hallale

106 Vitoria Sulam Saul



CULTURAL/RECREATIVA

201 Anna Bentes Bloch

202 Artur Rubwsztejn

203 David Schipper

204 Eli Boukai

205 Geny Bluvol

206 Gerson Hirsch

207 Gerson Hochman

208 Israel Blajberg

209 José Rymer

210 Malvina Ghivelder

211 Marcos André Chut

212 Mario Hauser

213 Miguel Grinspan

214 Ruth Galper

215 Sergio Kandelman

216 Suzana Grinspan

217 Zvi Reiner



EDUCACIONAL

301 Claudia Hochman

302 Moysés Genes

303 Regina Lupu

304 Vitor Kacser



JUVENTUDE

401 Claudia Grabois

402 Hamilton Goldfarb

403 José Roitberg

404 Roberto Braunstein



POLÍTICA/ECONÔMICA

501 Carlos Grand

502 Ernesto Mayer Rymer

503 Jayme Gudel

504 Jayme Léo Uryn

505 Patrícia Tolmasquim



RELIGIOSA

601 Abraham Mair Bemerguy

602 Alberto Chanea

603 Arnaldo Calirman

604 Ary Saúl Roiseman

605 Carlos Alberto Roizemblit

606 David Blak

607 Elisa Beti Frohweim

608 Froim Icek Baumwol

609 Helio Koifman

610 Henri El-Man

611 Jayme Jablonka

612 Jonas Spritzer Jaimovick

613 José Raphael Bokehi

614 Julio Lajchter

615 Ricardo Goldstein

616 Salomon Binenztok

617 Sami Goldstein

618 Samuel Horácio Ostrower

619 Stephan Blank

620 Samuel Redenschi

sábado, 2 de agosto de 2008

Resta apenas mais um dia para a FIERJ

Candidatos já inscritos para o Conselho Deliberativo da FIERJ

http://www.fierj.org.br/eleicao/deliberativo2008.htm

Resta apenas esta segunda-feira para a inscrição de candidatos ao Conselho Deliberativo da FIERJ e chapas ao Executivo. Leia as instruções no site da FIERJ http://www.fierj.org.br/eleicao/eleicao2008.htm e inscreva-se para concorrer e também inscreva-se para o trabalho vonluntário de mesário e de apurador. Em caso de dúvidas ligue para a FIERJ - 2236-4367.

Estaremos abertos para receber as inscrições até as 19h.

Candidatos a Prefeito no Comunidade na TV

aos domingos na CNT canais 9, NET 22, SKY 29 às 12h15 e 14 NET às 18h30 - assista qualquer matéria dos programas anteriores desde novembro de 2006 em www.youtube.com/fierj com mais de 470 mil vídeos assistidos.

Neste domingo começa a série de entrevistas feitas por Sergio Niskier com todos os candidatos a Prefeito da cidade do Rio de Janeiro em nosso programa de TV. A FIERJ entende que é um dever cívico e patriótico ceder espaço para os candidatos, que desejarem, poder mostrar suas propostas de uma forma descontraída.

A série começa com o Deputado Federal Chico Alencar PSOL/PSTU.


Para as eleições deste ano a legislação eleitoral ainda não progrediu o suficiente para permitir a liberdade total impedindo, especificamente, o uso da Internet para, seja pelos candidatos, partidos, instituições ou pessoas comuns para a divulgação de idéias democráticas, debates e opiniões. Os candidatos estão restritos apenas às suas páginas de campanha.

Em relação a mídia impressa o regulamento é muito diferente e os candidatos podem comprar espaços limitados, até mesmo diariamente. Quanto a TV, os espaços não podem ser vendidos e precisam ser dados, gratuitamente e de forma isonômica. Isso significa que não veremos candidatos a Vereador na TV, pois seria necessário oferecer espaço para mais de 1.250 candidatos no Rio de Janeiro.

Em relação aos candidatos a Prefeito, atendemos as exigências da legislação eleitoral e oferecemos, por escrito, espaço de 10 minutos para cada partido que possui candidato majoritário. A recepetividade foi total e já gravamos entrevistas com os candidatos do PSOL, PTdoB, PCB, e nesta semana vamos gravar com o DEM e o PT. Apenas não obtivemos resposta do PCO, e ainda aguardamos um posicionamento deste partido.

Somos o único programa de produção independente da TV aberta brasileira a oferecer espaço para a democracia, sem distinções político/ideológicas. E estamos oferecendo 10 de nossos 40 minutos semanais. Essa oferta não é para nós, FIERJ, mas para você e todo o público que nos assiste. Se você acompanha TV sabe que apenas uma emissora de TV, a BAND, começou com com espaço de entrevistas para os candidatos uma vez por semana em seu noticiário.

Tanto as eleições gerais como as comunitárias não são um evento de candidatos mas um evento da sociedade e dos cidadãos que precisam ser engajar na discussão política, pois a política nos dita a vida quer participemos dela ou não.

No dia 24 de agosto, vote nas eleições da FIERJ e em outubro vote de forma consciente para Prefeito e Vereador.

TIC com data marcada

Será no dia 2 de setembro no Salão Ben Gurion o retorno do Teatro Israelita de Comédia com a leitura dramatizada da peça inédita Ele Caminhava pelos Campos, de Moshé Shamir. Essa retomada de impulso do Teatro de Judaico foi iniciativa de FIERJ que dá todo apoio possível ao TIC. Aproveite essa oportunidade, programa-se e vá. A entrada é gratuita. Grande elenco dirigido por Felipe Wagner com Bruce Gomlevski no papel principal.

O que restou de Sharon

Nesta semana recebemos M.Meshi Zahav, o criador e dirigente da Zaka - ONG internacional destinada a prestação de primeiros socorros, identificação de corpos de judeus e recolhimento de suas partes, em qualquer lugar do mundo segundo a halachá. Sua atuação neste sentido é em atentados, desastres e catástrofes naturais. Entrevistamos no rádio e para o CTV. Em conversa particular, perguntei sobre a situação real de Ariel Sharon. Como amigo pessoal e da família, Zahav me disse que o viu antes da viagem ao Brasil: "Sabe, ele está com 40 quilos..."

Conheça a ZAKA

Sem Olmert, mas com quem?

Quando Ehud Olmert esteve no Brasil e se encontrou com a comunidade, fez um discurso que consideramos histórico. Naquele momento todos tinham a certeza de que ele, um dia, seria um grande primeiro ministro. Era vice de Sharon. Quando Ariel Sharon ficou em coma, a imagem de Olmert sentado em sua cadeira sem assumir a postura do "deixa comigo que eu assumo", mantendo vazia a cadeira de Sharon, apontava problemas. Certamente ele sabia que a qualquer momento um fantasma de corrupção de 13 anos atrás viria assombrá-lo.

Tzipi e Golda
Agora, quem? As pesquisas apontam a Ministra do Exterior Tzipi Livni para suceder Olmert. Tudo vai se decidir na eleição interna do Kadima em 17 de setembro. É entre ela e Shaul Mofaz. Israel não é mais o mesmo dos tempos de Golda Meir e Tzipi não é Golda. Será que alguém vê um partido de centro no poder com uma Primeira Ministra sem apoio da direita religiosa?

Israel e China em alternativa

A S.D.E. Energy assinou um contrato de 100 milhões de dólares com investidores de Hong Kong para a implantação de um projeto piloto de geração de energia elétrica pelo movimento das ondas do mar no litoral da província de Guangzhou. Os custos de construção de sistemas de geração por Megawatt está em 650 mil dólares para esta tecnologia contra 900 mil para gás natural, 1,5 milhões para carvão e 3 milhões de dólares para energia solar. Há negociações para a construção de um projeto de 30 MW em São Francisco, na Califórnia. A unidade de teste com 40 KW funciona há mais de 1 ano no porto de Yaffo, ao lado de Tel Aviv.

Água pode trazer a paz

Espera-se para dezembro deste ano a queda histórica do nível de água do lago Kineret a um ponto onde não será possível captar água para toda a região. A paz na região depende do acesso de todos à água. O empresário Boaz Wachtel está propondo a construção de um aqueduto desde a Turquia com capacidade para 4 bilhões de metros cúbicos por ano a serem distribuídos para Israel, Jordânia, Síria.

Marcapasso para os rins

A empresa israelense Nephera criou uma nova abordagem para o tratamento de doentes renais crônicos. Uma pequena bomba implantada no rim pode aumentar o fluxo em 30 a 60%. Isso pode se tornar uma medida eficiente de tratamento antes da necessidade de hemodiálise ou transplante.

Mala avisa que chegou

Já viajou de avião? Sabe aquele momento meio desesperador em que você fica esperando sua mala aparecer na esteira de bagagem? E quando vêm várias malas iguais? Yoav Ben-David e Zvi Kanor da American Express Travel de Tel Aviv estão lançando o "Easy-2-Pick" - "Fácil de Pegar". O dispositvo do tamanho de um cartão de crédito preso como etiqueta na mala é ativado pela luz. Ao entrar no saguão iluminado começa a enviar sinais com alcance de 15 metros para um receptor no seu chaveiro e pronto: sua mala está ali. Ufa! Deve custar cerca de 15 dólares no lançamento.

domingo, 20 de julho de 2008

Crimes de Informática agora são realidade!

Foi aprovada pelo Senado a Lei Para os Crimes de Informática, introduzindo a proibição de crimes raciais. Esta inclusão decorreu de emenda proposta pela FIERJ, através de sua Diretoria Jurídica, com base nas conclusões do seminário promovido pela FIERJ e OAB/RJ em junho de 2007 – "Crimes de Ódio na Internet".

A lei no. 7.716/89, que trata dos crimes resultantes de discriminação ou preconceito, foi alterada, passando o inciso ii do § 3º. Do art. 20, a permitir que se possa determinar, antes mesmo do inquérito policial, "a cessação das respectivas transmissões radiofônicas, tevisivas, eletrônicas, ou da publicação por qualquer meio".

O Senador Eduardo Azeredo, relator do parecer aprovado, declarou que "o projeto aprovado no senado está em sintonia com a Convenção de Budapeste, assinada por todos os países que estão seriamente empenhados em combater os 'hackers' e outros criminosos do universo da informática e da internet".

Jacksohn Grossman - Diretor Jurídico da FIERJ

A última missão

por José Roitberg (*)

Há muitos meses atrás o jornal alemão Der Spiegel publicou, sem citar fontes que Ehud Goldwasser e Eldad Reguev estavam mortos. Quase a totalidade do mundo judaico optou por não acreditar. Mesmo depois disso foram feitas campanhas pela libertação deles e de Gilad Schalit, ainda em cativeiro do Hamas em Gaza.

Essas campanhas contaram com grande amparo da mídia judaica. Não levaram em conta nem a precisão do jornal alemão nem a mentalidade óbvia do Hezbollah. Quem já esteve em minha sala na FIERJ, sabe que bem visível no meu armário está adesivo do habanim.org, agora com "z'l" sobre os nomes de dois dos três soldados de Israel.

Mesmo depois da realidade o http://www.habanim.org/en/index_en.html ainda espera a volta deles indicando 739 dias de ausência.. O choque deve ter desmobilizado o pessoal... Havia uma petição on-line. Muitos devem ter assinado. Talvez agora todos vejam a ineficácia das petições. Alguém acredita que uma máquina programada para matar judeus vai se importar com o que eles tem a dizer?

RON ARAD

A realidade é dura. A realidade é crua. Apesar de anos de campanha, por vezes desesperada e sem sentido, não se deve aguardar desfecho diferente em relação ao piloto Ron Arad, cujo avião foi abatido sobre o Sul do Líbano há 22 anos atrás. Neste caso parece quem nem seus restos tem paradeiro conhecido. Não passa uma semana sem algum email circulando pedindo a libertação dele. Aliás, campanha iniciada muito antes da existência da internet.

MORTOS NO ATAQUE INICIAL

Segundo as informações dos legistas israelenses, Goldwasser foi morto no instante do ataque, dentro de seu veículo blindado com um ferimento no peito. Já Regev recebeu um tiro na cabeça enquanto tentava se proteger. Portanto o Hezbollah enganou o mundo inteiro até o último instante ao manter a versão de que eles foram sequestados e estariam vivos. Apenas mais uma mentira terrorista. Nunca houve sequestro ou cativeiro algum o que mostra a total ausência de cartas, vídeos ou gravações dos dois. Enganar judeus? Por que não?

SENTIMENTOS


Existem sentimentos complicado em relação ao dia 16. Antes de mais nada, a data escolhida é terrível, dois dias antes da AMIA e o dia pelo calendário ocidental onde em 622 dc foi iniciado o calendário islâmico. Agora o Hezbollah vai poder comemorar a AMIA, quando comemorar Kuntar.

O primeiro sentimento é um choque traumático de trazer milhões de pessoas a dura realidade do conflito, dois anos depois quando ainda havia esperança. Neste quadro, muitos sentem-se traídos, mais pelo governo israelense que pelo inimigo Hezbollah. A culpa é do inimigo e não de Israel! Mas culpam o governo por libertar um animal libanês condenado a cinco prisões perpétuas consecutivas, mais quatro integrantes do Hezbollah e devolver 168 corpos de terroristas de diversas facções que estavam enterrados em Israel, pelos corpos de apenas dois soldados. Vale a pena?

O segundo é um sentimento ufanista, já fora de lugar no contexto histórico mas ainda muito visto e ouvido por aí: "um soldado israelense vale sim centenas de árabes." Isso é uma bobagem nacionalista dita por qualquer lado de um conflito.

O terceiro sentimento é um sentimento derrotista, aquele que se espalha cada vez mais quando judeus passam a incorporar as mentiras da propaganda anti-semita árabe-islâmica, que não é diferente hoje do que era quando Kunan, em 1979, aos 17 anos de idade, desembarcou em um bote de borracha em Israel com seu grupo de ataque de terroristas da Frente de Libertação da Palestina.

Sem objetivo militar algum em mente, invadiu aleatoriamente um edifício perto da praia e arrastou Dany e sua filha Einat de quatro anos de seu apartamento. Kunan fuzilou Dany enquanto a pequena Einat era obrigada a assistir essa cena de terror. Coloque-se no lugar dela! Desepere-se! Chore! Ela não é apenas Einat, é seus filhos, é você!


Em seguida, mostrando toda a sua bestialidade treinada e incentivada por seus líderes ideológicos e religiosos esmagou a cabeça de Einat Haran a golpes de coronha de seu fuzil. Smadar, esposa e mãe, ouvindo os gritos de terror e os tiros, se escondeu e tampou a boca de sua filha que chorava sem parar. A irmazinha mais nova, Yael com apenas dois anos morreu asfixiada. Na ação terrorista, dois policiais israelenses também foram assassinados.

1942-1979


Este caso, apenas um entre os diversos ataques covardes de terroristas palestinos nas décadas de 1960 e 1970 estava esquecido. Mas com a sua triste memória recuperada, me obrigo a compará-lo com um dos relatos mais chocantes de Alexander Laks, presidente da Associação do Sobreviventes do Holocausto do RJ - Sherit Hapleitá.

Dentro de todo o horror do Holocausto, Laks sempre conta que ainda criança, escondido num apartamento no gueto de Lodz, estava com um grupo de pessoas quando soldados alemães faziam uma busca. Uma mãe agiu como Smadar para evitar que todo o seu grupo fosse descoberto pelos alemães. Ambas agiram sem intenção sabendo que o choro levaria a morte de todos.

A criança morreu num quarto escuro em Lodz. Laks criou uma frase que não pode sair de nossas mentes: "naquele momento os judeus não tinham o direito de chorar!". Não tinham o direito de viver e não tinham o direito de chorar. Em desepero e sem motivos para viver, os pais do bebê de Lodz entregaram-se aos nazistas e nunca mais foram vistos.

Aconteceu novamente uns 35 anos anos depois, não sob ocupação nazista, mas sob a liberdade da democracia israelense. Não devido a carrascos nazistas, mas devido a carrascos palestinos criados através de propaganda nazista. Para ambos uma vida judaica nunca valeu nada!

TUDO POR UMA CERCA

O sentimento derrotista leva judeus a pensarem que perdemos com a troca. Que devíamos ficar com o animal Kuntar enjaulado por cinco vidas e que se danem os corpos de dois judeus: as famílias que assumam sua parte na guerra, porque soldados devem apenas cumprir sua missão. Se voltarem está ótimo. Se não voltarem... É o que se espera. Mas a missão deles era apenas verificar uma cerca.

Eram reservistas em "miluim". E não foram as duas únicas vítimas daquele dia quando os terroristas do "exército" ilegal do Hezbollah no Líbano atacaram seu Hummvee blindado, em território israelense, com um míssil anti-tanque.

Morreram no veículo: Sargento-Major Class Eyal Benin, 22, Sargento-Major Shani Turgeman, 24, e Staff-Sargento Wassim Nazal, 27. No Brasil temos apenas três níves de sargentoss em possibilidade de tradução. Em Isarel e EUA há cinco, sendo o mais alto o Major, seguido pelo Staff. Estes nomes precisam ser lembrados também.

Quase imediatamente o comandante local enviou dois tanques para perseguir os terroristas e resgatar os israelenses que se acreditava terem sido seqüestrados. Mas era uma emboscada.

Um tanque Merkava seguiu um caminho lógico onde havia uma enorme bomba enterrada. Ele foi atingido e seus quatro tripulantes foram mortos. Um grupo de infantaria foi enviado para tentar fazer o resgate e o Sargento Cohen Nimrod foi morto. Dois de seus soldados ficaram feridos gravemente, exigindo uma terceira missão de resgate.

Tudo isso por uma cerca colocada exatamente para dificultar a entrada de terroristas em Israel. E por uma cerca e esses soldados, foi-se a guerra com todas as conseqüências conhecidas.

A ÚLTIMA MISSÃO

Mas Ehud Goldwasser e Eldad Regev já mortos não sabiam ter ainda uma última missão, pela qual foram promovidos a Staff-Sargentos. Sua última missão foi jogar mais um pouco de verdade sobre o mundo inteiro mostrando a real face do inimigo. Não o rosto camuflado escondido em um buraco, mas o rosto público do enaltecimento do terror, do enaltecimento do matador de crianças, da transformação de um animal em herói nacional recebido pelo primeiro-ministro libanês, apregoado como exemplo por Mahmud Abbas da Fatah, que deveria ser o parceiro pela paz e tomado e indicado como exemplo do que é ser um bom garoto palestino, um bom garoto libanês, um bom garoto do Hezbollah: um bom garoto é aquele que se desprende da família e vai matar crianças e civis judeus sem medir conseqüências!

Isso está na propaganda diária pelo martírio radical islâmico e radical palestino de forma absolutamente aberta! É propagandeado na TV, no rádio, no jornal, nos sermões das mesquitas e nos livros escolares, não só dos palestinos, mas de todos os países árabes sem exceção. Só que Kunan é de outra geração onde essa pregação, esse culto a morte era obscuro e mais reservado. Se havia um Kunan, hoje há milhares.

A última missão dos dois sargentos foi cumprida com êxito! O discurso se inverteu: a vida de um terrorista do Hezbollah não vale nada, porque foi "nada" que os libaneses deram em troca pelos seus!

Um país que se refere a Israel como "Entidade Sionista de Ocuapção" mobilizado para receber um matador de crianças, com gráficas imprimindo cartazes sem parar, com outdoors pelas ruas, mostra que o racismo anti-judaico não é do Nasrallha, não é do Ahmadinejad, não é do Hannye.

Este racismo com raízes profundas sedimentado por uma poderosa e incessante máquina de propaganda anti-semita que impede as pessoas de sequer verem que há outra forma de se comportar em relação a Israel e aos judeus, não é uma coisa de "um homem só".

Esse racismo é um racismo mortal de centenas de milhares de pessoas, senão de milhões.

Vê quem quer. E pelo menos nós não podemos nos furtar a ver e não podemos alinhar com os derrotistas pois o mesmo alinhamento frente a mesma propaganda resultou no Holocausto na Segunda Guerra Mundial. Os livros são os mesmos. Os cartuns são os mesmos. As frases de efeito são as mesmas. O ódio é maior. Alinhar com o inimigo nunca trará a paz, mas apenas a dor e a morte. Viu quem quis ver há 65 anos atrás.

José Roitberg é jornalista e diretor de Comunidade na TV

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Atentado covarde em Jerusalém

Clique neste link para ver um clip no youtube com as principais matérias internacionais e fotos do ataque.

Na vinda do Ministro da Segurança Interna de Israel ao Rio de Janeiro, nosso departamento de jornalismo foi incisivo ao perguntar se deveríamos esperar mais ataques de árabes israelenses já que os muros, cercas e postos de controle praticamente zeram as ações suicidas organizadas vindas das áreas palestinas. A resposta foi: sim.

No ataque de hoje, um cidadão árabe israelense subiu em uma enorme retroescavadeira e entrou pela contra-mão de um dos principais acessos à Jerusalém passando por cima de veículos e pessoas, atacando dois ônibus. Em um dos ônibus, outro cidadão árabe israelense estava ao volante e conseguiu desviar o veículo do ataque terrorista salvando seus passageiros.

A covardia deste árabe israelense no trator chegou ao ponto de acenar para uma motorista indicando que ia passar por cima dela. E passou. Ela morreu e seu bebê que estava no carro sobreviveu.

A ação só foi interrompida quando um soldado israelense de 18 anos, que estava de folga, pegou a arma de um policial, e num ato heróico subiu no trator em movimento e disparou algumas vezes contra o terrorista matando-o. No clip há várias imagens onde você pode acompanhar estas ações.

A covardia deliberada, atacando intencionalmente civis, característica do terrorismo palestino mostra mais uma vez qual é o lado que não vai aceitar nenhum tipo de negociação de paz. O incitamento das TVs e rádios palestinas não é contido por muros e cercas e cada vez mais impregna as mentes de habitantes árabes de Israel.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Incluindo na Comunidade

*Claudia Grabois

Muitos dos nossos heróis bíblicos e rabinos renomados tinham reconhecidamente algum tipo de deficiência. Moises tinha um problema na fala, Isaac e Jacó se tornaram deficientes visuais com a idade, o rabino Nahum de Ginzo era cego, e muitos outros poderiam ser citados, se contrapondo aos grandes heróis da cultura greco romana.

Nossa tradição primou desde o inicio pela proteção das pessoas com deficiência, enquanto na Grécia bebês nascidos com deficiência eram abandonados e por conseqüência não sobreviviam. Na nossa cultura tal ato jamais foi admitido, pois matar uma criança por qualquer que fosse a razão constituía assassinato.

Não obstante leituras preconceituosas de textos bíblicos, primamos desde sempre pelos direitos humanos de todas as pessoas, onde estão inclusas as pessoas com deficiência.

Pela nossa tradição, reconhecendo que somos todos criados a imagem e semelhança de D'us, reconhecemos também o valor individual de cada um(a) com a unicidade e plenitude inerentes à pessoa humana, levando em conta todas as suas características individuais, seja ela uma pessoa com ou sem deficiência.

As pessoas com ou sem deficiência são iguais mas lamentavelmente as que tem algum tipo de deficiência são privadas de muitas coisas, principalmente nos ditos países em desenvolvimento.

No mundo existem aproximadamente 600.000.000 de pessoas com algum tipo de deficiência sendo que aproximadamente 25.000.000 delas vivem no Brasil, segundo estatísticas da ONU. Deste número 27% vive em situação de pobreza extrema e 50% em situação de pobreza.

Outro dado importante é que a pobreza por si só produz 1/3 de todas estas deficiências que poderiam ser evitadas com o aumento das políticas públicas de prevenção e inclusão social, bem como com a não discriminação.

O direito de ir e vir para as pessoas com deficiência ainda está longe de se tornar realidade, e isto impede também o direito à livre expressão, pois quem não chega, não fala.

Mas há também aqueles que conseguem chegar mas não podem se expressar pela falta de um intérprete, também de direito, para sua própria língua, que aqui chamamos de Libras-Língua Brasileira de Sinais. E também aqueles que não são ouvidos nunca, os deficientes intelectuais, privados do convívio social pela segregação imposta, e se analisarmos bem, imposta a todas nós, pois em outro ângulo pessoas sem deficiência também acabam segregadas pela impossibilidade desta convivência.

Os tipos de deficiências são: Física, Sensorial, Múltiplas e Intelectual e denominamos as pessoas com deficiência simplesmente de "pessoas com deficiência" e as pessoas sem deficiência de "pessoas sem deficiência".

Em todas as culturas e tradições existe um grande número de pessoas com deficiência que interagem com suas comunidades na proporção que as comunidade interagem com elas, ou seja, de acordo com a acessibilidade proporcionada, pois quanto mais acessível, maior participação de pessoas com deficiência e entende-se como meio para tornar acessível, o desenho universal, Libras(Brasil), Braille, acesso tecnológico e mudança de atitudes.

A comunidade judaica, inserida no contexto social brasileiro, apresenta as mesmas dificuldades para visualizar a pessoa com deficiência como um ser pleno e sujeito de direitos, assim como todos somos. Talvez por ser mais fácil "filantropizar" do que promover o acesso e reconhecer a cidadania, continuamos a promover atendimentos segregados e por conseqüência segregadores que nos levam a um preconceito ainda maior com a infantilização de pessoas com algum tipo de deficiência e desmerecimento do seu valor social.

A luta pelos direitos das pessoas com deficiência tem avançando muito nos últimos anos e acredito que as comunidades, sob pena de ficarem ultrapassadas em matéria de reconhecimento aos direitos humanos, precisam se apressar para acompanhar este rico processo.

Adaptações e mudanças podem ser feitar para modificar consciências, corações, computadores, entendimentos, espaços e acessos a todos que queiram e precisem, a todas que por direito pertencem. São pequenas e grandes medidas, listo algumas delas abaixo, algumas dispendiosas, outras de baixo ou mesmo sem custos.

1 - Criar um grupo de inclusão em sua instituição para traçar políticas inclusivas para pessoas com deficiência, tendo pessoas com deficiência participando deste processo e levando a discussão para dentro da comunidade

2 - Fazer pelo menos a cada dois meses para toda a instituição uma atividade que envolva pessoas com deficiência, ou seus representantes e levar a sério o lema "Nada Por Nós Sem Nós"

3 - No caso de sinagoga, pedir também que regularmente seu rabino fale sobre a importância da inclusão ampla, geral e irrestrita de todas as pessoas com deficiência em suas prédicas

4 - Tenha nos serviços a língua brasileira de sinais, sinalizando que surdos são bem vindos, tenha também material impresso da instituição em braille

5 - No caso de Sinagoga, fazer um projeto para conseguir também Torah e Sidur em braille, para que os deficientes visuais sejam igualmente bem vindos. As recomendações valem também para instituições políticas, sociais e de juventude

6 - Verificar se a Bimah é acessível e verificar também se a mezuzá está colocada ao alcance de alguém em cadeira de rodas. Fazer o mesmo com a caixa de kipot, com o armário dos sidurim e tudo o mais que pode ser alcançado por quem é cadeirante

7 - Verificar se os jornais comunitários podem ser acessíveis com o uso das modernas ferramentas da internet, para os deficientes visuais, colaborando para que se torne realidade

8 - Chamar pessoas com deficiência, de todos os tipos para participar da sua instituição e insista, pois esta participação é importante não apenas para ela, mas principalmente para os demais

9 - Incluir imediatamente todas as crianças, adolescentes e jovens com deficiência e reunir os jovens da instituição para participar deste processo e fazer o que for preciso para que isto aconteça. Realizar oficinas, tratar também do assunto com enfoque judaico, não deixar de lembrá-los que "nada faz uma pessoa ser melhor ou pior que a outra" e que mesmo vivendo em comunidade somos diversidade e mostrar que é possível. A convivência com as diferenças nos torna mais aptos para a vida

10 - Propor que no curriculo de estudo para bar mitzvah/bat mitzvah seja adicionado a inclusão de pessoas com deficiência à luz do judaismo

11 - Ensinar aos seus filhos em casa que as pessoas com deficiência não são doentes, ensinar também aos professores das escolas, aos monitores e madrichim, aos líderes, e transmitor isto a todos. Ensinar o mesmo em todas as Instituições

12 - Pedir que as escolas coloquem nos seus currículos desde o maternal a convivência com a diversidade e a aceitação das pessoas com deficiência e incluam as famílias neste trabalho. Lutar pela escola inclusiva para todas as crianças, escola que não atende a todos não é escola, pelo menos de acordo com as nossas leis, de nosso país, e do pirkei avot. Lembre sempre dos benefícios que uma criança que não tem deficiência leva para sua vida adulta ao poder crescer ao lado de uma criança com deficiência, aprendendo a respeitar as diferenças, e portanto aprendendo a exigir ser respeitado. Pois em algum momento da vida, cada um de nós sempre será colocado como o diferente. Mas principalmente tenha claro que a inclusão é um direito amplo, geral e irrestrito, onde não cabe uma negação. E as escolas devem entender isto completamente.

13 - Tornar os lugares acessíveis, com rampas, elevadores, banheiros, espaços adequados e o que mais for necessário. Levar em frente esta idéia. A persistência leva ao êxito. Mantenha palcos acessíveis bem como locais de reuniões, e se for necessário perca um pouco do seu conforto para o bem de todos. Impedir uma única pessoa de participar de atividades por conta de nosso egoísmo em não facilitar o acesso, contraria nossa própria existência.

14 - Fazer intensamente um trabalho para que as pessoas com deficiência sejam vistas com naturalidade, mas tendo claro que inclusão só se aprende fazendo, é uma luta diária contra preconceitos e por direitos aparentemente básicos, mas nem sempre claros para a maior parte das pessoas.

15 - Promover acessibilidade nos meios de comunicação, entendendo que o direito à informação é para todos e sem ele não existe igualdade de oportunidades.

16 - Tenha claro que todas as mudanças estruturais que vierem a ser feitas beneficiarão todas as pessoas, diminuirão riscos de acidentes para grávidas, crianças e idosos, diminuirão o número de doentes, pois a exclusão provoca inúmeras doenças, diminuirão a violência, pois a inclusão caminha na contramão e diminuirão as distâncias, pois a inclusão rompe inúmeras barreiras e muito embora seja trabalhosa, torna a vida mais bonita.

Muito embora as sugestões tenham sido feitas visando a inclusão das pessoas com deficiência, o direito à inclusão é para TODOS. Se para as crianças é direito inalienável, para jovens, adultos e idosos é o verdadeiro exercício da cidadania, é o ir e vir, a livre expressão, saúde física e mental, a busca pela dignidade, pela justiça social e o caminho para valorização total da diversidade e legitimação das diferenças com respeito a características individuais e coletivas. Inclua-se, inclua o outro e o aceite no seu TODO, assim estaremos também construindo a paz

*Claudia Grabois
Diretora de Inclusão Social da FIERJ
Membro da equipe técnica do Forum de Educação Inclusiva do Estado-UERJ
Diretora da Rede Inclusiva e RJDown

quinta-feira, 26 de junho de 2008

ESCLARECIMENTO IMPORTANTE SOBRE CRIME ELEITORAL

No dia de hoje já recebemos como denúncia e como corrente de emails, com vários textos criados pelos emitentes, duas fotos fora de contexto relacionadas a um partido político e candidato às eleições.

Uma das fotos é de oito anos atrás e outra é de uma ação ocorrida fora de nossa cidade, também há anos atrás.

Há a necessidade urgente de alertar a todos os nossos leitores e a todas as pessoas que enviam e reenviam emails com este teor, que de acordo com a legislação eleitoral do TSE e do TRE-RJ para as eleições 2008, tais emails estão claramente enquadrados dentro das PROIBIÇÕES relacionadas à propaganda eleitoral e cobertura informativa.

Resumindo: pelo entendimento principalemnte dos jornalistas que trabalham basicamente com Internet, a propaganda favorável ou desfavorável, em blogs, sites e emails está terminantemente proibida.



TRE- RJ

1) A Portaria foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de
Janeiro, Parte III, Seção II, Pág. 1.

COORDENADORIA DE FISCALIZAÇÃO DE PROPAGANDA

PORTARIA Nº 02/2008 - CFPE

Dispõe sobre a veiculação de propaganda eleitoral na Internet e outros
meios eletrônicos de comunicação, para as eleições de 2008.

Art. 3º. Não será permitido o envio de mensagens não solicitadas pela
Internet (spams) e por qualquer outro meio eletrônico de comunicação,
inclusive por intermédio de telefonia celular (torpedos),
telemarketing e correio de voz (Lei nº 9.504/97, art. 37 e Res. TSE nº
22.718/08, art. 13).

Art. 4º. A inobservância às disposições contidas nos artigos
anteriores sujeitará os responsáveis e/ou beneficiários às sanções
previstas na Lei nº 9.504/97 e na Resolução TSE nº 22.718/08.



TSE

2) TSE - RESOLUÇÃO Nº 22.718
INSTRUÇÃO Nº 121 – CLASSE 12ª – BRASÍLIA – DISTRITO FEDERAL.
Relator: Ministro Ari Pargendler.

Art. 18. A propaganda eleitoral na Internet somente será permitida na página do candidato destinada exclusivamente à campanha eleitoral.

Art. 21. (Proibições) III – veicular propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido político ou coligação, a seus órgãos ou representantes (Lei nº 9.504/97, art. 45, III);

Art. 49. Constitui crime, punível com detenção de 6 meses a 2 anos e pagamento de 10 a 40 dias-multa, caluniar alguém, na propaganda
eleitoral ou visando a fins de propaganda, imputando-lhe falsamente fato
definido como crime (Código Eleitoral, art. 324, caput).

§ 1º Nas mesmas penas incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou a divulga (Código Eleitoral, art. 324, § 1º).

Art. 50. Constitui crime, punível com detenção de 3 meses a 1
ano e pagamento de 5 a 30 dias-multa, difamar alguém, na propaganda
eleitoral ou visando a fins de propaganda, imputando-lhe fato ofensivo à sua
reputação (Código Eleitoral, art. 325, caput).

sábado, 21 de junho de 2008

O caso suiço do hino alemão

(*) José Roitberg

Nesta última semana a BBC disparou para mundo uma matéria que acabou tendo uma repercussão mínima. No jogo da Eurocopa entre Alemanha e Áustria, a TV SRG da Suíça legendou o hino alemão com "Deutschland, Deutschland ueber alles" (Alemanha, Alemanha acima de tudo) utilizando toda a sua primeira estrofe. É bom lembrar que alemão é uma das línguas utilizadas na Suíça.

Em sua superficialidade, a BBC disse que o hino alemão estava em desuso desde do fim da Segunda Guerra. Todo mundo copiou e colou países a fora. A SRG atribuiu o erro a dois jovens editores esportivos de sua subsidiária responsável pelas legendas. Culpe o estagiário... Aí tinha coisa...

Nós não aprendemos o hino alemão no Brasil. Grande parte de nossa população que decora tudo quanto é música popular, não sabe nem o nosso próprio hino, uma verdadeira opereta. O hino alemão também não se aprende em lugar nenhum, exceto na Alemanha e seus núcleos de imigrantes. Na minha visão simplista, sempre que ouvia o hino alemão antes de jogos ou nas vitórias de Schumacher na Fórmula 1 eu me sentia desconfortável. Nunca entendi por quê o hino, um símbolo nazista, tinha sido mantido até hoje. Mal sabia da bizarra verdade. Nada que um bom motivo como este não me levasse a pesquisar.

De nazista, o hino não tem nada! É apenas mais uma percepeção distorcida da história que não nos ensinaram nas escolas. "Alemanha, Alemanha acima de tudo; Acima de qualquer coisa no mundo..." A melodia, que quem conhece música clássica alguma vez na vida estranhou ao ouvir num disco de Haydn (seria este compositor nazi??) foi escrita pelo grande Joseph Haydn em 1797 como um hino de aniversário para o imperador (kaiser) austríaco Franz II. Era conhecida por "Gott erhalte Franz den Kaiser" (Deus salve o Kaiser Franz). Na Áustria se fala alemão.

A letra símbolo das imensas concentrações de tropas nazistas no estádio olímpico de Berlim e em outra partes da Alemanha, foi escrita por August Heinrich Hoffmann von Fallersleben em 1841, contemporâneo de Karl Marx, praticamente um século antes da Segunda Guerra Mundial, quando ele morava em Heligoland, na época conquistada sob domínio inglês. Ainda nem havia Alemanha como país: eram os Estados Germânicos.

Há um grande número de países onde músicas pré-existentes foram escolhidas como hinos. Bem diferente do Brasil com hino composto para tal finalidade. Só como exemplos: Estados Unidos, Israel e... Alemanha... O "Das Lied der Deutschen" (O Hino dos Alemães) foi escolhido como hino da Alemanha na República de Weimar, em 1922, quatro anos após a derrota na Primeira Guerra Mundial. Tinha duas estrofes. O NSDAP - Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, o Partido Nazista, cantava apenas a primeira estrofe: essa, da confusão desta semana.

A segunda estrofe foi descartada pois é: "As mulheres alemãs, a lealdade alemã, o vinho alemão, a música alemã; vão reter em todo o mundo seus belos laços; e inspirarnos a nobres gestos durante toda nossa vida." Se você assistir novamente o Grande Ditador, de Chaplin, verá praticamente este texto na última parte do filme quando os pensamentos do personagem vagueiam pelos campos... Bem curioso isso... Creio que todos concordamos que nazistas cantando essa estrofe seria completamente fora de contexto mesmo.

Portanto, o hino reduzido à primeira estrofe passou a ser um dos hinos alemães junto com o "Horst-Wessel-Lied" (Hino de Horst Wessel - popularizado com o nome do autor, originalmente definido com Die Fahne Hoch - A Bandeira Está no Alto". E foi cantado assim, apenas a primeira estrofe, até fim do Terceiro Reich em 1945.

Há um caso histórico registrado na Copa do Mundo de 1954. Adivinhe onde? Acertou: Suíça. Adivinhe quem ganhou? Acertou: Alemanha. Adivinhe que hino todo o estádio cantou? Claro: a primeira estrofe do "Das Lied der Deutschen" acompanhando a banda, para desespero da comissão alemã, da FIFA e dos organizadores. Não por serem nazistas, mas simplesmente por não saberem que não era mais o hino! Parece que não sabem até hoje. É o que ocorreu na semana que passou.

Dois anos antes, em 1952, a Alemanha criou uma terceira estrofe, conhecida por "Deutschlandlied" (Hino da Alemanha), mas com o sistema de mídia da época e o país lutando pela sua reconstrução, pouco ou nada se soube disso. O país ainda estava divido entre russos, americanos, ingleses e franceses. E se foi divulgado não ficou na memória dos povos. Portanto a confusão é simples: existem três estrofes com a mesma melodia.

Uma ficou na memória coletiva, uma foi descartada e outra é a válida.

Se tivessem mudado a melodia, nada disso teria ocorrido. Quem conhece apenas uma das estrofes acha que aquela é a correta. Desde 1952 o hino alemão é o que segue.

Einigkeit und Recht und Freiheit
Für das deutsche Vaterland!
Danach lasst uns alle streben
Brüderlich mit Herz und Hand!
Einigkeit und Recht und Freiheit
Sind des Glückes Unterpfand;
|: Blüh' im Glanze dieses Glückes,
Blühe, deutsches Vaterland. :|

(tradução livre)
Unidade e justiça e liberdade
Para a terra natal da Alemanha!
Para isto vamos todos nos esforçar
Irmanados com coração e as mãos!
Unidade e justiça e liberdade
São o que nos leva a um bom destino;
|: Floresça neste destino abençoado,
Floresça Alemanha nossa terra natal:|

Note que em 1952 com o país retalhado entre os Aliados, o hino pedia "unidade". Era praticamente subversivo...

É claro que isso é pedir demais da BBC ou das outras grandes mídias baseadas na banalização e superficialidade... Pelo menos eu, nunca mais vou mentalizar "Alemanha, Alemanha Acima de Tudo" nas competições esportivas com participação alemã e sim "Unidade e Justiça e Liberdade."

(*) José Roitberg - Diretor de Comunidade na TV - FIERJ